1935 Mapa Natal
 1935 Mapa RN
 ABC da Insurreição
 ABC dos Indiciados
 ABC Personagens
 ABC Pesquisadores
 Jornal A Liberdade
 1935 Livros
 1935 Textos e Reflexões
 1935 Linha do Tempo
 1935 em Audios
 1935 em Vídeos
 1935 em Imagens
 1935 em CD-ROM
 Nosso Projeto
 Equipe de Produção
 Memória Potiguar
 Tecido Cultural PC
 Curso Agentes Culturais
 Guia Cidadania Cultural
 Direitos Humanos
 Desejos Humanos
 Educação EDH
 Cibercidadania
 Memória Histórica
 Arte e Cultura
 Central de Denúncias
 Rede DHnet
 Rede Brasil
 Redes Estaduais
 Rede Estadual RN

Insurreição Comunista de 1935
em Natal e Rio Grande do Norte

Giocondo Dias, a Vida de um Revolucionário

 

 

 

Nosso Projeto | Mapa Natal 1935 | Mapa RN 1935 | ABC Insurreição | ABC dos Indiciados | Personagens 1935 | Jornal A Liberdade | Livros | Textos e Reflexões | Bibliografia | Linha do Tempo 1935 | Imagens 1935 | Audios 1935 | Vídeos 1935 | ABC Pesquisadores | Equipe de Produção

 

Giocondo Dias,
a Vida de um Revolucionário

João Falcão, Agir 1993

Infância e Mocidade | Filiação à ANL e ao PCB | Véspera da Revolução | A Rebelião de Natal | Junta Governativa | Três dias de governo | Jornal da Revolução | A Derrocada | A Fuga | Refúgio de comunistas


Jornal da revolução

Na quarta-feira pela manhã, dia 27, circulou o jornal da revolução, A Liberdade, com quatro páginas, formato 0,32 x 0,56 centímetros, similar ao jornal A República, órgão oficial do governo deposto, impresso na Imprensa Oficial do Estado. No seu cabeçalho, em letras garrafais, lia-se:

Enfim, pelo esforço invencível dos oprimidos de ontem, pela colaboração decidida e unânime do povo, legitimamente representado por soldados, marinheiros, operários e camponeses, inaugura-se no Brasil a era da Liberdade, sonhada por tantos martyres, centralizada e corporificada na figura legendária omnipresente no amor e na confiança divinatória dos humildes - de Luiz Carlos Prestes, o "Cavaleiro da Esperança".

A tiragem foi de 3.000 exemplares, e sua distribuição ficou sob a responsabilidade de Gastão Nunes, que substituiu o distribuidor de A República.1

O tópico de apresentação do jornal está na terceira página:

A LIBERDADE

Com a vida nova estabelecida no paiz, não se justificaria continuassem os velhos rótulos, de instituições e seus órgãos, rótulos que disto não passavam, mas que eram bem expressivos da aridez, da esterilidade e da pomposa mentira que encobriam.

Impondo o novo título a este jornal, que durante 47 arnnas - salvo pequeno período em que serviu realmente à Revolução de 30 - foi a bandeja de sobremesa dos pândegas do capitalismo encasacado e ladravaz, agora em auto-de-fé na praça pública, impomos-lhe o título que lhe convém na sua qualidade de tribuna onde o povo poderá livremente dizer, a todo o mundo, o que sente e o que pensa, a respeito de seus direitos.

Na redação desse primeiro e único número, desempenharam um papel decisivo os velhos redatores da Imprensa Oficial, Othoniel Menezes e Gastão Corrêa da Costa. Praxedes, no entanto, atribuiu a autoria dos principais textos ao jornalista Horácio Valladares: “ - Ele nos ajudou muito na redação do jornal Ele nos prestou um grande serviço."2 Vencendo todas as dificuldades, inclusive a falta de gráficos, outros colaboradores empenharam-se bastante para que A Liberdade circulasse: o co-merciante José Aguinaldo de Barros e os gráficos Israel Pedrosa e Francisco Meneleu, sendo que este ficou encarregado pela paginação. Também o professor Raimundo Reginaldo da Rocha e sua filha, Amélia Reginaldo, tomaram parte ativa nos trabalhos do jornal.3

 

Notas:

1 - Depoimento de Gastão Nunes. Processo nº 2 e apelação nº 218 do TSN, TI Volume, p. 333.

2 - Moacyr de Oliveira Filho. Ob. Cit., p. 69.

3 - Raimundo Reginaldo da Rocha era irmão de Lauro Reginaldo da Rocha, codinome Bangu, membro do CC e, posteriormente, do Secretariado do PCB (1936).

^ Subir

Infância e Mocidade | Filiação à ANL e ao PCB | Véspera da Revolução | A Rebelião de Natal | Junta Governativa | Três dias de governo | Jornal da Revolução | A Derrocada | A Fuga | Refúgio de comunistas

< Voltar

Nosso Projeto | Mapa Natal 1935 | Mapa RN 1935 | ABC Insurreição | ABC dos Indiciados | Personagens 1935 | Jornal A Liberdade | Livros | Textos e Reflexões | Bibliografia | Linha do Tempo 1935 | Imagens 1935 | Audios 1935 | Vídeos 1935 | ABC Pesquisadores | Equipe de Produção

História dos Direitos Humanos no Brasil
Projeto DHnet / CESE Coordenadoria Ecumênica de Serviço
Centro de Direitos Humanos e Memória Popular CDHMP
DHnet - Rede de Direitos Humanos e Cultura
Centro de Direitos Humanos e Memória Popular
Rede Brasil de Direitos Humanos
 
Desde 1995 © www.dhnet.org.br Copyleft - Telefones: 055 84 3211.5428 e 9977.8702 WhatsApp
Skype:direitoshumanos Email: dhnet@dhnet.org.br Facebook: DHnetDh
Google
Tecido Cultural Ponto de Cultura Rio Grande do Norte
Linha do Tempo RN Rio Grande do Norte
Memória Histórica Potiguar
Combatentes Sociais RN
História dos Direitos Humanos RN Rio Grande do Norte
Guia da Cidadania Cultural RN
Rede Estadual de Direitos Humanos Rio Grande do Norte
Redes Estaduais de Direitos Humanos
Rede Brasil de Direitos Humanos
História dos Direitos Humanos no Brasil - Projeto DHnet
Direito a Memória e a Verdade
Projeto Brasil Nunca Mais
Comitês de Educação em Direitos Humanos Estaduais
Djalma Maranhão
Othoniel Menezes Memória Histórica Potiguar
Luiz Gonzaga Cortez Memória Histórica Potiguar
Homero Costa Memória Histórica Potiguar
Brasília Carlos Memória Histórica Potiguar
Leonardo Barata Memória Histórica Potiguar
Centro de Direitos Humanos e Memória Popular CDHMP RN
Centro de Estudos Pesquisa e Ação Cultural CENARTE