1935 Mapa Natal
 1935 Mapa RN
 ABC da Insurreição
 ABC dos Indiciados
 ABC Personagens
 ABC Pesquisadores
 Jornal A Liberdade
 1935 Livros
 1935 Textos e Reflexões
 1935 Linha do Tempo
 1935 em Audios
 1935 em Vídeos
 1935 em Imagens
 1935 em CD-ROM
 Nosso Projeto
 Equipe de Produção
 Memória Potiguar
 Tecido Cultural PC
 Curso Agentes Culturais
 Guia Cidadania Cultural
 Direitos Humanos
 Desejos Humanos
 Educação EDH
 Cibercidadania
 Memória Histórica
 Arte e Cultura
 Central de Denúncias
 Rede DHnet
 Rede Brasil
 Redes Estaduais
 Rede Estadual RN

Insurreição Comunista de 1935
em Natal e Rio Grande do Norte

 

A Revolta Comunista de 1935 em Natal
Relatos de Insurreição que gerou o primeiro soviete nas Américas
Luiz Gonzaga Cortez

 

 

 

 

Nosso Projeto | Mapa Natal 1935 | Mapa RN 1935 | ABC Insurreição | ABC dos Indiciados | Personagens 1935 | Jornal A Liberdade | Livros | Textos e Reflexões | Bibliografia | Linha do Tempo 1935 | Imagens 1935 | Audios 1935 | Vídeos 1935 | ABC Pesquisadores | Equipe de Produção

 

 

Anexos
01. Complementos de apontamentos sobre a novembrada...300

I - De fato antes da Revolta de 1935, o clima político era agitado; logo no Carnaval da Avenida Tavares de Lira, houve tiros e correrias, feridos e dois ou três mortos.

II - CURIOSO é que os “tenentes, capitães e generais” fabricados em 1935 na Serra do Doutor, não esclareceram que tipo de luta foi realizada alí, onde dizem que morreu muito comunista, porém do lado daqueles que combateram alí os COMUNISTAS já em debandada de Natal, “não houve um morto e nem um ferido” (parece-me)...

III - Mesmo o fogo de Panelas foi um arreganho de luta entre fugitivos (comunistas) de Natal e grupo de sertanejos mais afoitos. Depois muita gente comentava que em Panelas o combatente de esquerda mais bravo foi um cabeceiro de (nome talvez Severino) e que vivia aqui no Alecrim sempre com uma faixa larga na cintura devido volumosa hérnia visceral – este alí ficou morto.

IV - Apesar da vitória comunista em Natal, não houve depredações e nem vinganças na hora “H”; duas ou três lojas foram saqueadas pelo populacho. Porém após a revolução que fosse CAFEISTA era perseguido. Se alguém fosse visto olhando a lua no céu em minguante – logo dizia que esse alguém olhava para lua porque ela se parecia com a foice da bandeira moscovita...

V - O dinheiro do Banco do Brasil chegou prá muita gente... Logo em breve o jornal estampou os n ºs e as séries das notas 500 mil, que era o dinheiro novo e mais alto da época. Em Nísia Floresta, seu Ferreira, português e homem de bem e afortunado, permitira que um casal em trânsito repousasse algumas horas em um casebre seu. Daí alguns dias, seu Ferreira foi a cidade e comprou mercadorias e pagou com uma nota de 500 mil. Isto chegou ao conhecimento do Delegado que exigiu uma explicação da origem daquela nota. De pronto o português interrogado explicou: - Sinhor delegado essa nota eu trusse de Purtugal há tempo... “Mas seu Ferreira e essa notinha estar tão nova e tem o nome Estados Unidos do Brasil?” - Ora sr. Delegado, essa notinha eu sempre guardei dentro de um livru e nós sabemus qui o Brazil sempri foi unido a portugal. – Mas seu Ferreira, e quantas notas dessas o senhor ainda tem em casa? - Qual nada sr. Delegado, não tenho mesmu mais nem uma mesmo. ( Porém após pesquisas se concluiu que o casal de transeuntes levava tanto dinheiro que ia deixando um pouco por onde passava)...

VI - Após o “heroismo de 1964” – vimos uma exposição numa Galeria ao lado do Palácio Potengi, o material apreendido em poder de comunistas. Do grande médico VULPIANO, prenderam meia dúzia de livros e meia dúzia de fotografias de CIENTISTAS! PUDERA!...

VII - De todos os líderes acusados de comunistas no RN ou Natal, não se conhece um que tenha deixado: fábrica, fazenda, fortuna em bancos!... Parece que só a inveja dessas topeiras é que vendo o prestígio e liderança daqueles líderes – sentiram a necessidade psicológica de odia-los e derrota-los, para poderem aparecer como “salvadores”... de que?...

^ Subir

< Voltar

Nosso Projeto | Mapa Natal 1935 | Mapa RN 1935 | ABC Insurreição | ABC dos Indiciados | Personagens 1935 | Jornal A Liberdade | Livros | Textos e Reflexões | Bibliografia | Linha do Tempo 1935 | Imagens 1935 | Audios 1935 | Vídeos 1935 | ABC Pesquisadores | Equipe de Produção

História dos Direitos Humanos no Brasil
Projeto DHnet / CESE Coordenadoria Ecumênica de Serviço
Centro de Direitos Humanos e Memória Popular CDHMP
DHnet - Rede de Direitos Humanos e Cultura
Centro de Direitos Humanos e Memória Popular
Rede Brasil de Direitos Humanos
 
Desde 1995 © www.dhnet.org.br Copyleft - Telefones: 055 84 3211.5428 e 9977.8702 WhatsApp
Skype:direitoshumanos Email: dhnet@dhnet.org.br Facebook: DHnetDh
Google
Tecido Cultural Ponto de Cultura Rio Grande do Norte
Linha do Tempo RN Rio Grande do Norte
Memória Histórica Potiguar
Combatentes Sociais RN
História dos Direitos Humanos RN Rio Grande do Norte
Guia da Cidadania Cultural RN
Rede Estadual de Direitos Humanos Rio Grande do Norte
Redes Estaduais de Direitos Humanos
Rede Brasil de Direitos Humanos
História dos Direitos Humanos no Brasil - Projeto DHnet
Direito a Memória e a Verdade
Projeto Brasil Nunca Mais
Comitês de Educação em Direitos Humanos Estaduais
Djalma Maranhão
Othoniel Menezes Memória Histórica Potiguar
Luiz Gonzaga Cortez Memória Histórica Potiguar
Homero Costa Memória Histórica Potiguar
Brasília Carlos Memória Histórica Potiguar
Leonardo Barata Memória Histórica Potiguar
Centro de Direitos Humanos e Memória Popular CDHMP RN
Centro de Estudos Pesquisa e Ação Cultural CENARTE