1935 Mapa Natal
 1935 Mapa RN
 ABC da Insurreição
 ABC dos Indiciados
 ABC Personagens
 ABC Pesquisadores
 Jornal A Liberdade
 1935 Livros
 1935 Textos e Reflexões
 1935 Linha do Tempo
 1935 em Audios
 1935 em Vídeos
 1935 em Imagens
 1935 em CD-ROM
 Nosso Projeto
 Equipe de Produção
 Memória Potiguar
 Tecido Cultural PC
 Curso Agentes Culturais
 Guia Cidadania Cultural
 Direitos Humanos
 Desejos Humanos
 Educação EDH
 Cibercidadania
 Memória Histórica
 Arte e Cultura
 Central de Denúncias
 Rede DHnet
 Rede Brasil
 Redes Estaduais
 Rede Estadual RN

Insurreição Comunista de 1935
em Natal e Rio Grande do Norte

 

A Revolta Comunista de 1935 em Natal
Relatos de Insurreição que gerou o primeiro soviete nas Américas
Luiz Gonzaga Cortez

 

 

 

 

Nosso Projeto | Mapa Natal 1935 | Mapa RN 1935 | ABC Insurreição | ABC dos Indiciados | Personagens 1935 | Jornal A Liberdade | Livros | Textos e Reflexões | Bibliografia | Linha do Tempo 1935 | Imagens 1935 | Audios 1935 | Vídeos 1935 | ABC Pesquisadores | Equipe de Produção

 

 

17. O chefe da polícia caiu numa cilada

Conforme prometemos na edição passada, continuamos a publicação do noticiário do jornal oficial do Governo do Estado do Rio Grande do Norte sobre a insurreição de novembro de 1935 em Natal, conhecida com novembrada, revolta vermelha, intentona comunista, quartelada de 35, etc. O noticiário do jornal "A República" de 28 de novembro de 1935, que transcrevemos hoje, também não registra que o combate ocorrido entre revoltosos e defensores do quartel do Batalhão da Polícia Militar, na rua das Laranjeiras, revelou um herói chamado Luiz Gonzaga. Segundo o desembargador João Maria Furtado, autor do livro "Vertentes", juiz de direito na época da insurreição, Luiz Gonzaga era conhecido por "Doidinho", um agregado do quartel da Polícia Militar e não soldado. Sizenando Filgueira disse que matou "Doidinho" e que prendeu os oficiais da PM no mangue do Passo da Pátria, no rio Potengi.

Mas os arquivos da PM registram que Luiz Gonzaga foi alistado como conscrito, dias antes de rebentar a revolta. Já o coronel da reserva da PM, Sebastião de Souza Revoredo, que era sargento e lutou durante o tiroteio de quase 20 horas, afirmou que Luiz Gonzaga, Doidinho, era o rapaz que ficava segurando os "pentes" de balas da metralhadora do quartel. Por isso, ficou conhecido como "municiador". O coronel Revoredo, por motivos ignorados , jamais quis falar profundamente sobre o assunto.Já Sizenando Filgueira da Silva, que disse ter sido o autor do disparo que vitimou L. Gonzaga, relembra que a vítima trajava calção cáqui, molhado, "nu da cintura para cima", no momento que foi abatido. "O tiroteio já tinha acabado, quando prendi toda a oficialidade do quartel. Nesse instante, vi o mato se mexendo, perto do mangue que existia atrás do quartel. Notei que era um homem fazendo pontaria para mim e resolvi meter bala. O tiro fez a vítima cair para trás, como estivesse dando um pulo. Ao olhar o cadáver, notei que o calção estava molhado, como se estivesse saído do Rio Potengi naquele instante", conta Sizenando.

O noticiário da oitava página de A República registra detalhes da prisão do Chefe da Polícia, João Medeiros Filho, pelos revoltosos de novembro de 35. Eis a transcrição:

A REPÚBLICA - NATAL - SEXTA-FEIRA, 29 DE NOVEMBRO DE 1935. N.º 1466.

A MALOGRADA REBELIÃO NO ESTADO

Em nossa tarefa de informar ao público os lutuosos fatos que foi campo o Rio Grande do Norte e particularmente esta capital, durante os dias do terror extremista, continuamos hoje a publicação do intenso noticiário dos acontecimentos ocorridos aqui e em outros pontos do estado.
A CHEFIA DE POLÍCIA ANTE A SURPRESA DOS PRIMEIROS TIROS – A DETENÇÃO DO DR. JOÃO MEDEIROS.


Em companhia do governador Rafael Fernandes, também se achava no “Carlos Gomes” o Dr. João Medeiros Filho, Chefe da Polícia do Estado, que imediatamente se transportando ao quartel do B.P.M. e outros pontos da cidade, tomou as providências que, surpresa do momento, se faziam necessárias à repressão de um movimento cujo caráter logo se manifestou. Usando de todos os meios ao seu alcance, o Dr. João Medeiros procurou entrar em ligação com o coronel comandante do 21º BC e os oficiais, sendo porém detido, às 22 horas do sábado, por uma cilada, dos rebeldes, que conduziram S.S. ao quartel sedicioso.

Ali, já se encontravam presos diversos oficiais do Exército sendo o Chefe de Polícia fechado numa prisão infecta e sem conforto, sob as ameaças e injurias dos que para lá o haviam atraído.

Por duas vezes, o Dr. João Medeiros foi retirado da prisão pelos elementos mais extremados, para ser conduzido por paizanos para lugares ignorados, aonde certamente iriam ultimar as sucessivas ameaças feitas à sua pessoa, uma das mais visadas pela sede de sangue dos rebeldes.


A ENÉRGICA REAÇÃO SERTANEJA

Logo que chegou ao Seridó a notícia do levante extremista, rebentado na noite de sábado, o bravo coronel Dinarte Mariz à frente de uma coluna de decididos sertanejos, partiu de Caicó em defesa do poder legalmente constituído, tendo travado, o primeiro encontro com os rebeldes, domingo, em Serra Caiada, conseguindo destroça-los dali seguiu em direção a Panelas, onde após cinco horas de combate, obteve nova vitória sobre as forças sediciosas, que debandaram, com grandes perdas, além de vários prisioneiros.

Naquela zona a ordem foi logo restabelecida, e para sua manutenção não mediram sacrifícios os heróicos sertanejos comandados pelo Cel. Dinarte Mariz, vivo exemplo de bravura e lealdade.


CHEGADA DE TROPAS A ESTA CAPITAL

A bordo do “POCONÉ” deverá chegar, hoje à noite ou amanhã, o 20º Batalhão de Caçadores, de Alagoas, que conjuntamente com as forças da Paraíba, esperada hoje pela manhã, no trem da Great Western, asseguração, cada vez mais, a tranquilidade do povo mantida desde anteontem pelas forças do Governo.


RESTABELECIDO O TRÁFEGO DA GREAT WESTERN E DOS AVIÕES

Já restabelecido o tráfego dos trens da Great Western, suspenso em virtude da intentona extremista.

Ontem mesmo, à hora habitual partiu o interestadual para Recife, tendo corrido, sem nenhuma alteração no horário, conforme haviam noticiado na edição passada, os trens da estrada de ferro central.

O tráfego dos aviões acha-se normalizado. Ontem, passou para o sul o avião carreira “PANAIR”. Ás 15 horas chegou, de retorno da Bahia, a aeronave do sindicato Condor que havia deixado Natal na manhã de anteontem.

Algumas vitimas.

Durante os sucessivos tiroteios verificados nos diversos bairros desta capital e no interior foram feridas, entre outras, as seguintes pessoas: Francisco Lopes, Horacio Antônio, Francisco Vital da Silva e Raimundo Alves Pereira, soldados do 21º BC; Joaquim Barbosa, Antônio Gervásio, Severino Mendes e João Barbosa da Silva, praças do Batalhão Policial Militar, Geraldo Palma da Rocha; Manoel Ribeiro de Souza, ferido em Ponta Negra; Ideval Barros, soldado do 21º BC, ferido em Panelas; Arnaldo Lira, ferido na Vila Cincinato; Tenente José Paulino de Medeiros, ferido no quartel do B.P.M.

Entre outras mortes podemos registrar as seguintes pessoas: -Otacilio Werneck, morto em sua residência, à rua General Glicerio, no bairro da Ribeira; José Pedro Celestino, morto na Detenção: Maria Carmen Tavares; morta no Tirol; Arthur Mangabeira e Gervasio Mangabeira, morto numa povoação do município de São Thomé (1).


OS SAQUES NO INTERIOR DO ESTADO

Diversas cidades, vilas e povoados do interior sofreram terrivelmente durante os dias de ganância dos extremistas provação que lhes infringiram os bandos armados. Macaíba, Ceará-Mirim, São José do Mipibú, Vila Nova, Lagoa de Montanhas, Nova Cruz e outras localidades tiveram vários dos seus estabelecimentos comerciais e residências particulares arrombados ou saqueados.


VÁRIAS NOTAS:

O Sr. José Alves dos Santos, chefe da firma M. Martins & Cia, desta praça, foi preso pelo extremista Epifanio Guilherme que à frente de um troço de homens armados, exigiu daquele comerciante sob pena de não o fazendo ser fuzilado. Abertas as portas da agência Ford dali retiraram os extremistas todos os automóveis e caminhões existentes, levando mais dois contos de réis em dinheiro.

O saque feito na Dispensa Natalense da Viuva M. Machado, sucessora, foi vultoso, calculando-se em cerca de 200 contos os prejuízos dessa firma.

Da agência Internacional, da S. A . Wharton Pedrosa foi retirado um caminhão “Internacional”, de capacidade de 2.850 Kilos, motor n.º 35.811 e diversos acessórios para automóveis tudo no valor de 90.000$000.

A agência da Texaco & Cia, em Macaíba, foi assaltada pelos revoltosos, que levaram setenta e quatro caixas de gasolina sem que fornecessem ao respectivo agente, Sr. José Magalhães, qualquer documento.”



NOTAS:

1- Muito sintomático o fato do jornal oficial não registrar uma linha sobre o “herói” Luiz Gonzaga do B.P.M., morto em Natal, mas registrou um duplo assassinato – crime comum – em São Tomé, na região do Trairi do RN. Ora, se tinha morrido um herói, porque não registrá-lo? A resposta é insofismável: não houve vitima heróica no B.P.M., pois esse herói de araque foi criado depois. Por isso, a Polícia Militar do RN não possui sequer uma fotografia do suposto soldado Luiz Gonzaga de Souza.



DIÁRIO OFICIAL

ADMINISTRAÇÃO DO EXMO. SR. DR. RAFAEL FERNANDES GURJÃO, GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE.

EXPEDIENTE DO GOVERNADOR.

NOVEMBRO – 28, DECRETO N.º 30

AUTORIZA O PAGAMENTO DE IMPOSTO SEM MULTA.

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, USANDO DE SUAS ATRIBUIÇÕES E CONSIDERANDO A SITUAÇÃO EM QUE SE ENCONTRA O ESTADO EM VIRTUDE DO SURTO EXTREMISTA QUE ABALOU PROFUNDAMENTE A SUA ECONOMIA PARALIZANDO GRANDEMENTE A ATIVIDADE GERAL.

Decreta:

Art. único – Poderão ser recebidos, sem multa os impostos cujo pagamento for efetuado até 31 de dezembro futuro, revogadas as disposições em contrário.

Palácio do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, em Natal, 28 de Novembro de 1935 – 47º da República.

RAFAEL FERNANDES GURJÃO

ALDO FERNANDES R. DE MELO

Considera feriados os dias de 28 do corrente a 5 de dezembro p. vindouro.

O Governador do Estado do Rio Grande do Norte, usando de suas atribuições e considerando que o Estado foi isolado por uma rebelião que lhe desorganizou a vida e a necessidade de ser recomposta a situação sem maiores danos, DECRETA:

Art. único – São considerados feriados os dias de 28 do corrente a 5 Dezembro próximo; revogados as disposições em contrário.

Palácio do Governo do Estado do RN, em Natal, 28 de novembro de 1935 – 47º da República.

RAFAEL FERNANDES GURJÃO

ALDO FERNANDES R. DE MELO



NATAL – SEXTA-FEIRA, 29 DE NOVEMBRO DE 1935, N.º 1466. 1ª Página.

MANUTENÇÃO DA ORDEM.

O EXMO. SR. DR. RAFAEL FERNANDES, GOVERNADOR DO ESTADO, RECEBEU ONTEM OS SEGUINTES TELEGRAMAS:

CURRAIS NOVOS – 28, Todo o Seridó completamente calmo, havendo apenas grupos rebeldes já destroçados que estão sendo perseguidos por nossas forças. Vou telegrafar a três colunas paraibanas rumavam esta zona agradecendo serviços vinham prestar nosso Estado ao mesmo tempo fazendo ver desnecessidade continuação marcha. Acaba chegar tenente Carvalho tendo feito na serra 28 prisioneiros com grande quantidade material bélico. Exulto brilhante vitória congratulando-me prezado amigo. Cordiais Saudações.

Dinarte Mariz.


CANGUARETAMA – 28, Força sob meu comando acaba ocupar esta cidade e Nova Cruz, encontrando tudo em paz. Este comando felicita V.Excia. por ter vitoriado causa lei e não ter sido sacrificado. Aqui aguardo ordem que as cumprirei Saudações.

Major Elias Fernandes, comandante Batalhão Forças de João Pessoa.

Requisitado pelo indivíduo ARTHUR SOARES FRANÇA, em nome do 21º BC, a firma PEDRO FERNANDES E IRMÃO, estabelecida à Rua Frei Miguelino, n.º 73, nesta Capital, forneceu mercadorias diversas no valor de 2:820$000.

^ Subir

< Voltar

Nosso Projeto | Mapa Natal 1935 | Mapa RN 1935 | ABC Insurreição | ABC dos Indiciados | Personagens 1935 | Jornal A Liberdade | Livros | Textos e Reflexões | Bibliografia | Linha do Tempo 1935 | Imagens 1935 | Audios 1935 | Vídeos 1935 | ABC Pesquisadores | Equipe de Produção

História dos Direitos Humanos no Brasil
Projeto DHnet / CESE Coordenadoria Ecumênica de Serviço
Centro de Direitos Humanos e Memória Popular CDHMP
DHnet - Rede de Direitos Humanos e Cultura
Centro de Direitos Humanos e Memória Popular
Rede Brasil de Direitos Humanos
 
Desde 1995 © www.dhnet.org.br Copyleft - Telefones: 055 84 3211.5428 e 9977.8702 WhatsApp
Skype:direitoshumanos Email: dhnet@dhnet.org.br Facebook: DHnetDh
Google
Tecido Cultural Ponto de Cultura Rio Grande do Norte
Linha do Tempo RN Rio Grande do Norte
Memória Histórica Potiguar
Combatentes Sociais RN
História dos Direitos Humanos RN Rio Grande do Norte
Guia da Cidadania Cultural RN
Rede Estadual de Direitos Humanos Rio Grande do Norte
Redes Estaduais de Direitos Humanos
Rede Brasil de Direitos Humanos
História dos Direitos Humanos no Brasil - Projeto DHnet
Direito a Memória e a Verdade
Projeto Brasil Nunca Mais
Comitês de Educação em Direitos Humanos Estaduais
Djalma Maranhão
Othoniel Menezes Memória Histórica Potiguar
Luiz Gonzaga Cortez Memória Histórica Potiguar
Homero Costa Memória Histórica Potiguar
Brasília Carlos Memória Histórica Potiguar
Leonardo Barata Memória Histórica Potiguar
Centro de Direitos Humanos e Memória Popular CDHMP RN
Centro de Estudos Pesquisa e Ação Cultural CENARTE