Direitos Humanos
 Desejos Humanos
 Educação EDH
 Cibercidadania
 Memória Histórica
 Arte e Cultura
 Central de Denúncias
 Banco de Dados
 Rede Brasil DH
 Sociedade Civil
 Mídia
 Conselhos de Direitos
 Executivo
 Legislativo
 Judiciário
 Ministério Público
 Redes Estaduais
 Rede Estadual RN
 ONGs Direitos Humanos
 ABC Militantes DH
 Rede Mercosul
 Rede Lusófona
 Rede Cabo Verde
 Rede Guiné-Bissau
 Rede Moçambique

Comitê Estadual pela Verdade, Memória e Justiça RN
Centro de Direitos Humanos e Memória Popular CDHMP
Rua Vigário Bartolomeu, 635 Salas 606 e 607 Centro
CEP 59.025-904 Natal RN
84 3211.5428
enviardados@gmail.com

Envie-nos dados e informações:
DHnet Email Facebook Twitter Skype: direitoshumanos

 

Comissões da Verdade Brasil | Comissões da Verdade Mundo
Comitê de Verdade Estados | Comitê da Verdade RN

Página Inicial | Anatália de Souza Alves de Melo | Djalma Maranhão | Édson Neves Quaresma | Emmanuel Bezerra dos Santos | Gerardo Magela Fernandes Torres da Costa | Hiran de Lima Pereira | José Silton Pinheiro | Lígia Maria Salgado Nóbrega | Luís Ignácio Maranhão Filho | Luís Pinheiro | Virgílio Gomes da Silva | Zoé Lucas de Brito

 

ANATÁLIA DE SOUZA MELO ALVES

Anatália Melo Alves
Livro "Dos Filhos deste solo"

DADOS PESSOAIS

Nasceu em 09 de julho de 1945, em Mombassa, Município de Martins, atual Frutuoso Gomes, no Rio Grande do Norte, filha de Nicácio Loia de Melo e Maria Pereira de Melo. Em 1969 casou-se com Luiz Alves Neto.

ATIVIDADES

Anatália era uma pessoa de temperamento reservado, tímida, voltada para os estudos, tendo concluido o curso científico no Colégio Estadual de Mossoró, cidade onde residiu até 1969. Nesse período trabalhou na Cooperativa de Consumo Popular, revelando forte espírito de solidariedade em relação aos associados daquela entidade sócio-econômica. A partir de 1969, acompanhando seu marido, desloca-se para Recife, passando a militar no Partido Comunista Brasileiro Revolucionário (PCBR). Sua atuação política desenvolveu-se na Zona da Mata (PE), contribuindo para a organização e mobilização das bases camponesas do PCBR naquela área.

CIRCUNSTÂNCIAS DA PRISÃO E MORTE

Anatália foi presa juntamente com o seu marido e outros companheiros em 17 de dezembro de 1972. Levada para o DOI-CODI do IV Exército em Recife, foi torturada brutalmente até 13 de janeiro de 1973, quando a removeram para o DOPS. Neste órgão de segurança continuaram as torturas físicas e psicológicas, culminando com a sua morte em 22 de janeiro de 1973. Segundo a versão divulgada à época pela repressão, Anatália teria se enforcado com a alça de sua bolsa, após ter ateado fogo as suas vestes. Essa versão não resiste à análise das circusntâncias que caracterizaram a sua morte. Primeiro, seu corpo foi retirado do local onde teria ocorrido o suposto suicídio o banheiro do DOPS - as fotos da perícia foram feitas em outro local. Segundo, a torneira na qual ela havia fixado a alça da bolsa ficava a menos de 1 (um) metro do chão, tornando inviável a hipótese oficial de suicídio.E, finalmente, sabe-se que a nenhum prisioneiro político, em fase de interrogatório, seria permitido o uso de qualquer instrumento ou meio que atentasse contra a vida dos carcereiros ou do próprio preso, como cintos, alças de bolsas, fósforos , etc., etc.

SITUAÇÃO ATUAL

Depois de sancionada pelo presidente da República a Lei no. 9140/95 , que determinou a concessão de indenização aos familiares dos mortos e desaparecidos políticos, Luiz Alves Neto , após ter encaminhado requerimento à Comissão Especial , presidida pelo jurista Miguel Reale Júnior, obteve o reconhecimento oficial da responsabilidade da União pela morte de Anatália.

Voltar ao Menu

 
Desde 1995 © www.dhnet.org.br Copyleft - Telefones: 055-84-3221-5932 / 3211-5428 - Skype: direitoshumanos - dhnet@dhnet.org.br
Google
Notícias de Direitos Humanos
Loja DHnet
Linha do Tempo
Sistemas Internacionais de Direitos Humanos
Sistema Nacional de Direitos Humanos
Sistemas Estaduais de Direitos Humanos
Sistemas Municipais de Direitos Humanos
História dos Direitos Humanos no Brasil - Projeto DHnet
MNDH
Militantes Brasileiros de Direitos Humanos
Projeto Brasil Nunca Mais
Direito a Memória e a Verdade
Banco de Dados  Base de Dados Direitos Humanos
Tecido Cultural Ponto de Cultura Rio Grande do Norte
1935 Multimídia Memória Histórica Potiguar
Comitês de Educação em Direitos Humanos Estaduais