Direitos Humanos
 Desejos Humanos
 Educação EDH
 Cibercidadania
 Memória Histórica
 Arte e Cultura
 Central de Denúncias
 Banco de Dados
 MNDH Brasil
 ONGs Direitos Humanos
 ABC Militantes DH
 Rede Mercosul
 Rede Brasil DH
 Redes Estaduais
 Rede Estadual RN
 Mundo Comissões
 Brasil Nunca Mais
 Brasil Comissões
 Estados Comissões
 Comitês Verdade BR
 Comitê Verdade RN
 Rede Lusófona
 Rede Cabo Verde
 Rede Guiné-Bissau
 Rede Moçambique

Emmanuel Bezerra dos Santos
Militantes políticos assassinado pela Ditadura Militar

A SAGA DE EMMANUEL BEZERRA

Francisco Alves da Costa Sobrinho (*)

Convivi com Emmanuel Bezerra dos Santos quando, estudantes secundaristas, nos anos 60, participávamos das movimentações e manifestações do Movimento Estudantil, com toda a efervescência que caracterizou a época. Oriundo da JEC, passei a militante da Ação Popular (carregado de pecados e vacilações) e Emmanuel do PCB para PCR (pregando a revolução a partir do Nordeste). Apesar das divergências que caracterizavam as nossas organizações, tínhamos um profundo respeito e admiração pela sua capacidade de luta, sua constante disponibilidade, sua presença marcante, desassombrada e efetiva, onde quer que fosse a trincheira ou a tribuna.

Além de sua reconhecida participação no Diretório Estudantil Celestino Pimentel, do Atheneu, da presidência da Casa do Estudante (onde afirmou toda a sua capacidade de liderança) e nas diversas agitações políticas, Emmanuel Bezerra foi também um elemento de vanguarda nos movimentos literários e culturais de Natal - exercendo a crítica, compondo poemas ou ajudando a criar e gerir grupos e associações ou, ainda, dirigindo o Cine Clube Tirol num dos seus períodos mais significativos.

Bastante visado pela repressão, esteve preso na Delegacia das Rocas e na Base Naval de Natal, sem que isso o intimidasse ou lhe arrefecesse os ânimos. Pelo contrário, saía retemperado e disposto a novas lutas e articulações, ao ponto de evoluir em sua trajetória e alçar vôos mais longos, assumindo dimensão nacional.

Assim, Emmanuel Bezerra dos Santos foi importante protagonista do processo de construção de uma consciência histórica no Brasil. Resgatar sua trajetória é realçar fatos históricos de maior significação, que se encontram excluídos da história oficial. Quem estudar a verdadeira história das lutas de libertação do povo brasileiro, vai localizar Emmanuel Bezerra dos Santos nas linhas de frente, sacrificando a própria vida pelos ideais de construção de uma sociedade igualitária.

* Diretor da COMGRAF e ex - militante da Ação Popular.

Desde 1995 © www.dhnet.org.br Copyleft - Telefones: 055 84 3211.5428 e 9977.8702 WhatsApp
Skype:direitoshumanos Email: enviardados@gmail.com Facebook: DHnetDh
Google
Notícias de Direitos Humanos
Loja DHnet
DHnet 18 anos - 1995-2013
Linha do Tempo
Sistemas Internacionais de Direitos Humanos
Sistema Nacional de Direitos Humanos
Sistemas Estaduais de Direitos Humanos
Sistemas Municipais de Direitos Humanos
História dos Direitos Humanos no Brasil - Projeto DHnet
MNDH
Militantes Brasileiros de Direitos Humanos
Projeto Brasil Nunca Mais
Direito a Memória e a Verdade
Banco de Dados  Base de Dados Direitos Humanos
Tecido Cultural Ponto de Cultura Rio Grande do Norte
1935 Multimídia Memória Histórica Potiguar