Direitos Humanos
 Desejos Humanos
 Educação EDH
 Cibercidadania
 Memória Histórica
 Arte e Cultura
 Central de Denúncias
 Banco de Dados
 MNDH Brasil
 ONGs Direitos Humanos
 ABC Militantes DH
 Rede Mercosul
 Rede Brasil DH
 Redes Estaduais
 Rede Estadual RN
 Mundo Comissões
 Brasil Nunca Mais
 Brasil Comissões
 Estados Comissões
 Comitês Verdade BR
 Comitê Verdade RN
 Rede Lusófona
 Rede Cabo Verde
 Rede Guiné-Bissau
 Rede Moçambique


Centro de Direitos Humanos e Memória Popular 

Videoteca Direitos Humanos

MOVIMENTO NEGRO

 

2

Número: 99

Título: ISABEL E SEUS NEGRINHOS

Ano: 1988

Produção: TV VIVA

Local: PE

Tempo: 12

Gravação: NTSC 

· O repórter Brivaldo volta a 100 anos atrás e se transforma na Princesa Isabel, liberta os “escravos repórteres” Piolho e Nega Maluca e retorna aos tempos presentes querendo saber da abolição.

 

2

Número: 146

Título: ESSE BEREDÃO CHAMADO

Ano: 1991

Produção: GUICHARD, BETH

Local: PA

Tempo: 18

Gravação: NTSC

· Mostra comunidades de descendentes de escravos (Quarta geração), que se refugiaram dos caçadores brancos no início do século XIX, instalando-se às margens dos rios Trombetas e Erepecuru, afluentes do Amazonas, no Pará. Fala das tradições culturais e principais problemas enfrentados hoje pelas comunidades, como, por exemplo, a questão da posse de terra.

 

2

Número: 166

Título: DIAS OU ZUMBI?

Ano: 1989

Produção: GERAES PRODUÇÕES

Local: RJ

Tempo: 39

Gravação: PAL-M

· Aborda, em quatro segmentos, a luta do negro no Brasil, enfocando o posicionamento de 2 personagens antagônicos da história: Henrique Dias e Zumbi dos Palmares. Na primeira parte, a história da resistência; na Segunda, a religião; na terceira mostra os movimentos organizados. Na Quarta parte, a alegria do movimento: a festa do Dia da Consciência Negra, em 20.11.88.

 

2

Número: 193

Título: PODE CRÊ

Ano: 1992

Produção: GELEDÉS

Local: SP

Tempo: 23

Gravação: NTSC

· Neste vídeo, resultado da primeira fase do “Projeto Rappers”, criado pelo Programa de Direitos Humanos do Grupo Geledés, nove grupos da periferia de São Paulo mostra porque o RAP chegou para ocupar o seu lugar não só como música, mas também como denúncia com relação às condições de vida que a sociedade impõe aos jovens, principalmente aos jovens negros.

 

Volta inicial

Desde 1995 © www.dhnet.org.br Copyleft - Telefones: 055 84 3211.5428 e 9977.8702 WhatsApp
Skype:direitoshumanos Email: enviardados@gmail.com Facebook: DHnetDh
Google
Notícias de Direitos Humanos
Loja DHnet
DHnet 18 anos - 1995-2013
Linha do Tempo
Sistemas Internacionais de Direitos Humanos
Sistema Nacional de Direitos Humanos
Sistemas Estaduais de Direitos Humanos
Sistemas Municipais de Direitos Humanos
História dos Direitos Humanos no Brasil - Projeto DHnet
MNDH
Militantes Brasileiros de Direitos Humanos
Projeto Brasil Nunca Mais
Direito a Memória e a Verdade
Banco de Dados  Base de Dados Direitos Humanos
Tecido Cultural Ponto de Cultura Rio Grande do Norte
1935 Multimídia Memória Histórica Potiguar