O Comitê RN
 Atividades
 Linha do Tempo
 ABC Reprimidos
 ABC Repressores
 Comissões IPMs
 BNM Digital no RN
 Coleção Repressão
 Coleção Memória
 Mortos Desaparecidos
 Repressão no RN
 Acervos Militantes
 Bibliografia RN
 RN: Nunca Mais
 Áudios
 Videos
 Galerias
 Direitos Humanos
 Desejos Humanos
 Educação EDH
 Cibercidadania
 Memória Histórica
 Arte e Cultura
 Central de Denúncias
 Banco de Dados
 Rede Brasil DH
 Redes Estaduais
 Rede Estadual RN
 Rede Mercosul
 Rede Lusófona
 Rede Cabo Verde
 Rede Guiné-Bissau
 Rede Moçambique

Comitê Estadual pela Verdade, Memória e Justiça RN
Centro de Direitos Humanos e Memória Popular CDHMP
Rua Vigário Bartolomeu, 635 Salas 606 e 607 Centro
CEP 59.025-904 Natal RN
84 3211.5428
enviardados@gmail.com

Envie-nos dados e informações:
DHnet Email Facebook Twitter Skype: direitoshumanos

 

Comissões da Verdade Brasil | Comissões da Verdade Mundo
Comitê de Verdade Estados | Comitê da Verdade RN

Inicial | Reprimidos RN | Mortos Desaparecidos Políticos RN | Repressores RN

Militantes Reprimidos no Rio Grande do Norte
Raimundo Ubirajara de Macedo

Livros e Publicações

... e lá fora se falava em liberdade
Ubirajara Macedo, Sebo Vermelho 2001

José Fernandes Machado

Pastor protestante, professor e cursando Direito em nossa universidade, Machado era dos idealistas mais sinceros de quantos sonhavam com um Brasil livre das peias de um imperialismo que ainda hoje atrapalham os planos de nações que desejam ser livres. Preso no mesmo dia (07/04/1964), fomos juntos para o 16º RI, onde começaram os interrogatórios seguindo o mesmo modelo, isto é, a velha cantilena: “onde estão os comunistas dos Correios? Onde vocês se reuniam nas células organizadas pelo grupo dos 11? Quem são os comunistas, seus colegas?” Uma mixórdia que nós já sabíamos de onde vinha e por quem tinha sido preparado. Machado já sabia das mazelas preparadas pelos agentes da CIA no Brasil, respondia com categoria às perguntas dos nossos carcereiros, negando tudo que a ele perguntavam, diante de uma “virola”, instrumento que servia na década de 30 para surrar ladrões comuns e até inimigos políticos dos sobas da época. Eu mesmo, quando menino, vi por várias vezes, nas cadeias públicas de São Gonçalo do Amarante e Macaíba tais instrumentos pendurados nas delegacias. Pois sim, a revolução de primeiro de abril relembrou os tempos idos, trazendo de volta a “bichinha” que, diga-se de passagem, neste autor nem Machado foram “alisados” por ela. Mas por pouco, pouco, muito pouco...

Devido ainda à perseguição de que foi vítima, Machado, depois de um concurso brilhante para o cargo de Juiz de Direito de Pedro Velho, foi preterido na sua nomeação e passou certo tempo lutando pelos seus direitos. Ao ganhar na Justiça e ter suja nomeação confirmada, poucos anos depois falecia, vítima de forte diabetes. Mas valeu a luta de José Fernandes Machado. Infelizmente, se foi ainda jovem, mas certo de que, um dia, este país proclamaria a sua verdadeira independência.

^ Subir

< Voltar

Desde 1995 © www.dhnet.org.br Copyleft - Telefones: 055 84 3211.5428 e 9977.8702 WhatsApp
Skype:direitoshumanos Email: enviardados@gmail.com Facebook: DHnetDh
Google
Notícias de Direitos Humanos
Loja DHnet
DHnet 18 anos - 1995-2013
Linha do Tempo
Sistemas Internacionais de Direitos Humanos
Sistema Nacional de Direitos Humanos
Sistemas Estaduais de Direitos Humanos
Sistemas Municipais de Direitos Humanos
História dos Direitos Humanos no Brasil - Projeto DHnet
MNDH
Militantes Brasileiros de Direitos Humanos
Projeto Brasil Nunca Mais
Direito a Memória e a Verdade
Banco de Dados  Base de Dados Direitos Humanos
Tecido Cultural Ponto de Cultura Rio Grande do Norte
1935 Multimídia Memória Histórica Potiguar
Comitês de Educação em Direitos Humanos Estaduais