O Comitê RN
 Atividades
 Linha do Tempo
 ABC Reprimidos
 ABC Repressores
 Comissões IPMs
 BNM Digital no RN
 Coleção Repressão
 Coleção Memória
 Mortos Desaparecidos
 Repressão no RN
 Acervos Militantes
 Bibliografia RN
 RN: Nunca Mais
 Áudios
 Videos
 Galerias
 Direitos Humanos
 Desejos Humanos
 Educação EDH
 Cibercidadania
 Memória Histórica
 Arte e Cultura
 Central de Denúncias
 Banco de Dados
 Rede Brasil DH
 Redes Estaduais
 Rede Estadual RN
 Rede Mercosul
 Rede Lusófona
 Rede Cabo Verde
 Rede Guiné-Bissau
 Rede Moçambique

Comitê Estadual pela Verdade, Memória e Justiça RN
Centro de Direitos Humanos e Memória Popular CDHMP
Rua Vigário Bartolomeu, 635 Salas 606 e 607 Centro
CEP 59.025-904 Natal RN
84 3211.5428
enviardados@gmail.com

Envie-nos dados e informações:
DHnet Email Facebook Twitter Skype: direitoshumanos

 

Comissões da Verdade Brasil | Comissões da Verdade Mundo
Comitê de Verdade Estados | Comitê da Verdade RN

Inicial | Reprimidos RN | Mortos Desaparecidos Políticos RN | Repressores RN

Militantes Reprimidos no Rio Grande do Norte
Raimundo Ubirajara de Macedo

Livros e Publicações

... e lá fora se falava em liberdade
Ubirajara Macedo, Sebo Vermelho 2001

Djalma Maranhão, um capítulo especial

Djalma Maranhão tem uma história toda especial neste contexto, não só porque, na época, exercia o cargo de prefeito da cidade, como também pela sua liderança incontestável e honradez tanto pessoal como administrativa. Todas essas características do homem de esquerda que sempre foi, irritava os golpistas porque sabiam que ele jamais de entregaria aos planos antipatrióticos que estavam pondo em prática neste país. Uma das provas disse foi o depoimento prestado perante o delegado especial designado pelo Governo Estado, Carlos Moura de Moraes Veras junto à CPI da 7ª Região Militar.

Naquela oportunidade, Djalma tomou para si toda a responsabilidade de seus atos, tanto na administração municipal como na direção do jornal Folha da Tarde, onde não só se responsabilizou por matérias assinadas, é lógico. Mostrou coerência, coragem e antes de tudo, o espírito de liderança que sempre foi um marco da sua vida pública. Deixo de citar aqui trechos daquele depoimento em razão de já sido inserido, de forma completa, em livros da professora Maria da Conceição de Góes por ocasião da elaboração da tese de Doutorado “Cristãos e Comunistas na Construção da Utopia – a Aposta da Luiz Maranhão Filho”, apresentada à UFRJ, em 1997 e, também, do professor Moacyr de Góes em seu recente trabalho “Da Fidelidade e do Risco- um Estudo de Caso- Djalma Maranhão”.

Lembro-me ainda das discussões saídas que Djalma sempre mantinha, dando verdadeiras lições de vida e bom comportamento político, social e ético àqueles que não tinham a experiência necessária para enfrentar momentos inesperados. Foi provocado, várias vezes, por alguns oficiais despreparados totalmente para a missão militar, mas sempre se saía com galhardia. Em certa madrugada, armaram-lhe uma cilada. Deixaram aberta a porta da cela onde estava e uma voz em surdina aconselhava-o a fugir. Mas ele, com sua sagacidade e experiência, não seguiu o “conselho” misterioso. Sabia que o resultado da “fuga” seria fatal. O que poderia esperar de um regime fascista instalado no país com a cobertura dos mesmos que assassinaram Salvador Allende? Não me cabe aqui falar sobre a vida rica e cheia de bons exemplos do nosso admirável Djalma, vez que este trabalho se constitui em relembrar os dias de chumbo passados na prisão. Outros autores melhor informados já escreveram sobre sua vida, obra e feitos notáveis como administrador e político, inclusive seu filho Marcos e mais os autores aqui citados, Moacyr, Conceição e Mailde.

Um dia talvez venha a fazer um trabalho mais completo do que representou Djalma para a sociedade do Rio Grande do Norte. É muito vasta a biografia do homem que revolucionou a educação em nosso Estado. Esta uma das causas da sua prisão e que culminou com o seu exílio no Uruguai, aonde veio a falecer de saudade, pois amava muito esta cidade que lhe viu nascer. Muito foi dito sobre Djalma, mas acredito que muito ainda tem que se dizer. O futuro dirá.

^ Subir

< Voltar

Desde 1995 © www.dhnet.org.br Copyleft - Telefones: 055 84 3211.5428 e 9977.8702 WhatsApp
Skype:direitoshumanos Email: enviardados@gmail.com Facebook: DHnetDh
Google
Notícias de Direitos Humanos
Loja DHnet
DHnet 18 anos - 1995-2013
Linha do Tempo
Sistemas Internacionais de Direitos Humanos
Sistema Nacional de Direitos Humanos
Sistemas Estaduais de Direitos Humanos
Sistemas Municipais de Direitos Humanos
História dos Direitos Humanos no Brasil - Projeto DHnet
MNDH
Militantes Brasileiros de Direitos Humanos
Projeto Brasil Nunca Mais
Direito a Memória e a Verdade
Banco de Dados  Base de Dados Direitos Humanos
Tecido Cultural Ponto de Cultura Rio Grande do Norte
1935 Multimídia Memória Histórica Potiguar
Comitês de Educação em Direitos Humanos Estaduais