Direitos Humanos
 Desejos Humanos
 Educação EDH
 Cibercidadania
 Memória Histórica
 Arte e Cultura
 Central de Denúncias
 Banco de Dados
 MNDH Brasil
 ONGs Direitos Humanos
 ABC Militantes DH
 Rede Mercosul
 Rede Brasil DH
 Redes Estaduais
 Rede Estadual RN
 Mundo Comissões
 Brasil Nunca Mais
 Brasil Comissões
 Estados Comissões
 Comitês Verdade BR
 Comitê Verdade RN
 Rede Lusófona
 Rede Cabo Verde
 Rede Guiné-Bissau
 Rede Moçambique

Militantes Brasileiros dos Direitos Humanos
Arimatéia Dantas

No Piauí, prefeito cria Dia do Orgasmo

Efrém Ribeiro

TERESINA. O prefeito de Esperantina, a 174km de Teresina (PI), Felipe Santolia (PFL), sancionou ontem lei municipal criando o Dia do Orgasmo, comemorado hoje. A lei foi aprovada por cinco votos contra dois no fim da noite de sábado na Câmara dos Vereadores.

O Dia do Orgasmo será celebrado hoje em Esperantina, município de 38 mil habitantes que vivem principalmente da agricultura e do extrativismo do babaçu, com a apresentação da peça teatral "Monólogos da Vagina", apresentação de vídeo do episódio "Dia do Amor", veiculado na extinta série "Brava gente brasileira", da TV Globo, palestras sobre sexualidade, ejaculação precoce, impotência e importância do orgasmo.

O Dia do Orgasmo é comemorado, informalmente, em Esperantina há quatro anos, desde que o seu idealizador, o ex-vereador e advogado Arimatéia Dantas (PT), conseguiu a aprovação de seu projeto pela Câmara Municipal, mas que não foi homologado pelo prefeito da época, José Ivaldo (PSDB).


Jornais estrangeiros e a "Playboy" cobrem o evento
No início, as palestras sobre orgasmo ministradas por uma profissional do sexo chegaram a chocar a população de Esperantina, mas a comemoração foi assimilada e atrai a cobertura de jornais franceses, espanhóis e de edições estrangeiras da revista "Playboy".

— A homologação da lei criando o Dia do Orgasmo é um marco para a sexualidade da Humanidade, porque agora passa a ser reconhecida como uma questão de política pública e começa a quebrar o tabu e, de forma estratégica, passa a ser um problema a ser tratado pelo Estado como organização — afirma Dantas.

Desde que começou a defender a instituição do Dia do Orgasmo, Dantas passou a receber e-mails, como os de mulheres insatisfeitas e em dilema porque amam os maridos, mas ficam satisfeitas sexualmente com os amantes. No entanto, não querem casar com os amantes porque não os amam.

O prefeito Felipe Santolia disse que decidiu sancionar a lei por achar a questão do orgasmo uma preocupação muito importante e moderna, mas também por perceber que a repercussão do Dia do Orgasmo atrai turistas e a imprensa para a cidade, oportunidade para tentar atrair recursos financeiros e pôr em debate problemas da cidade.

No Dia do Orgasmo, pessoas discutem sexualidade

Felipe Santolia citou outro motivo que o levou a tornar oficial o Dia do Orgasmo:

— Muitos dos problemas dos seres humanos como nervosismo, doenças e estresses são causados por insatisfação em relação à sua sexualidade. O Dia do Orgasmo permite que as pessoas discutam a sexualidade em palestras e em conversas com especialistas — afirmou Santolia, que está em seu primeiro mandato à frente da Prefeitura de Esperantina.

Fonte: O Globo On Line, 09 Maio 2005

Desde 1995 © www.dhnet.org.br Copyleft - Telefones: 055 84 3211.5428 e 9977.8702 WhatsApp
Skype:direitoshumanos Email: enviardados@gmail.com Facebook: DHnetDh
Google
Notícias de Direitos Humanos
Loja DHnet
DHnet 18 anos - 1995-2013
Linha do Tempo
Sistemas Internacionais de Direitos Humanos
Sistema Nacional de Direitos Humanos
Sistemas Estaduais de Direitos Humanos
Sistemas Municipais de Direitos Humanos
História dos Direitos Humanos no Brasil - Projeto DHnet
MNDH
Militantes Brasileiros de Direitos Humanos
Projeto Brasil Nunca Mais
Direito a Memória e a Verdade
Banco de Dados  Base de Dados Direitos Humanos
Tecido Cultural Ponto de Cultura Rio Grande do Norte
1935 Multimídia Memória Histórica Potiguar