Direitos Humanos
 Desejos Humanos
 Educação EDH
 Cibercidadania
 Memória Histórica
 Arte e Cultura
 Central de Denúncias
 Banco de Dados
 MNDH Brasil
 ONGs Direitos Humanos
 ABC Militantes DH
 Rede Mercosul
 Rede Brasil DH
 Redes Estaduais
 Rede Estadual RN
 Mundo Comissões
 Brasil Nunca Mais
 Brasil Comissões
 Estados Comissões
 Comitês Verdade BR
 Comitê Verdade RN
 Rede Lusófona
 Rede Cabo Verde
 Rede Guiné-Bissau
 Rede Moçambique


Foto: Teotônio Roque

DIREITO À VIDA

(artigos 3, 5, 12 e 29 da Declaração Universal de Direitos Humanos)

"Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade"

Constituição da República Federativa do Brasil, artigo 5º

 

1ª SUGESTÃO

Esta atividade pode ser desenvolvida, por exemplo, nas disciplinas de Geografia e Ciências Naturais.

O respeito à vida humana encontra-se fragilizado pela banalização da violência em nossa sociedade: mortes e outras violações à dignidade do ser humano aumentam em número e tornam-se cotidianas, passando a ser consideradas comuns. Paralelamente, os meios de comunicação colaboram para o agravamento desse quadro. É o que, por exemplo, acontece quando a mídia veicula imagens violentas, incentivando reações ainda mais agressivas.

  • a) Analise os programas de TV que conhece e indique três que contribuam para condicionar as pessoas a reagir violentamente. Explique por quê.

    b) Conhece algum caso em que alguma pessoa agiu claramente influenciada pelos meios de comunicação?

    c) Você conhece algum caso de atuação coletiva violenta condicionada diretamente pelos meios de comunicação?

    d) Pegue um jornal da última semana e faça uma lista de manchetes violentas e manchetes que indicam paz, harmonia e solidariedade. Quais são as conclusões que você pode tirar?

    e) Tente explicar por que, apesar de ver, ler ou assistir programas violentos pelos meios de comunicação, nem todos atuam violentamente.

    f) Analise os seus comportamentos violentos nos últimos dias desta maneira:

    •  
    • Faça uma lista deles (pensamentos, palavras, gestos e ações);
    •  
    • Explique por que agiu dessa forma;
    •  
    • Reflita se havia outra forma de atuação melhor, ou se há mecanismos que podem ser aplicados para modificarem os seus comportamentos violentos (se não os encontra, escute criticamente as idéias que lhe serão dadas pelo grupo).
  • g) Indique três propagandas que exaltem a violência ou valores que com ela contribuem. Explique.

    h) Observe atentamente o seu meio (família, amigos, trabalho, bairro...) e indique as sementes de violência que ali existem.

    i) Qual você crê que deva ser o primeiro passo para acabar com a violência estrutural? Como você se comprometeria pessoalmente (ou como grupo) nesse passo?

  • 2ª SUGESTÃO

    Esta atividade pode ser desenvolvida, por exemplo, nas disciplinas de Língua Portuguesa e Ciências Naturais.

    Ler e discutir o seguinte texto, de autoria de Dalmo de Abreu Dallari, extraído do livro "Viver em Sociedade" (Editora Moderna, São Paulo, 1985).

    "A vida é necessária para que uma pessoa exista. Todos os bens de uma pessoa, o dinheiro e as coisas que ela acumulou, seu prestígio político, seu poder militar, o cargo que ela ocupa, sua importância na sociedade, até seus direitos, tudo isso deixa de ser importante quando acaba a vida. Tudo o que uma pessoa tem perde o valor, deixa de ter sentido, quando ela perde a vida. Por isso pode-se dizer que a vida é o bem principal de qualquer pessoa, é o primeiro valor moral de todos os seres humanos.

    O respeito à vida de uma pessoa não significa apenas não matar essa pessoa com violência, mas também dar a ela a garantia de que todas as suas necessidades fundamentais serão atendidas. Toda pessoa tem necessidades materiais, as necessidades do corpo, que se não forem plenamente atendidas levarão à morte ou a uma vida incompleta, que não se realiza totalmente e que já é um começo de morte. Assim, também, as pessoas têm necessidades espirituais, como a necessidade de amor, de beleza, de liberdade, de gozar do respeito dos semelhantes, de ter suas crenças, de sonhar, de ter esperança.

    Todos os seres humanos têm o direito de que respeitem sua vida. E só existe respeito quando a vida, além de ser mantida, pode ser vivida com dignidade."

    volta menu

    Desde 1995 © www.dhnet.org.br Copyleft - Telefones: 055 84 3211.5428 e 9977.8702 WhatsApp
    Skype:direitoshumanos Email: enviardados@gmail.com Facebook: DHnetDh
    Google
    Notícias de Direitos Humanos
    Loja DHnet
    DHnet 18 anos - 1995-2013
    Linha do Tempo
    Sistemas Internacionais de Direitos Humanos
    Sistema Nacional de Direitos Humanos
    Sistemas Estaduais de Direitos Humanos
    Sistemas Municipais de Direitos Humanos
    História dos Direitos Humanos no Brasil - Projeto DHnet
    MNDH
    Militantes Brasileiros de Direitos Humanos
    Projeto Brasil Nunca Mais
    Direito a Memória e a Verdade
    Banco de Dados  Base de Dados Direitos Humanos
    Tecido Cultural Ponto de Cultura Rio Grande do Norte
    1935 Multimídia Memória Histórica Potiguar