Apresentação
 Trajetória de Vida
 Escritos & Reflexões
 Atuação Jurídica
 ABC Vítimas da Ditadura
 Matérias na Mídia
 Correspondências
 Processos
 Arquivos Multimedia
 Galeria Virtual
 Acervo Mércia
 Direitos Humanos
 Desejos Humanos
 Educação EDH
 Cibercidadania
 Memória Histórica
 Arte e Cultura
 Central de Denúncias
 Rede Brasil
 Redes Estaduais
 Rede Estadual RN
 Rede Lusófona
 Rede Mercosul

Presídios
Jarbas decide manter encontro homossexual
DIÁRIO DE PERNAMBUCO – 1 de outubro de 1999

O governador Jarbas Vasconcelos garantiu que não revogará a decisão da Secretaria Justiça de permi­tir que os presos homossexuais te­nham direito aos encontros ínti­mos semanais dentro das unida­des prisionais do Estado. A declaração foi dada na tarde de ontem, du­rante uma visita ao município de Petrolina, no Sertão do São Francisco. O governador afirmou saber que, como a medida é polêmica, deveria causar protestos dos con­trários. “Esta não é uma decisão para ter unanimidade, mas as reações, sobretudo no aspecto religio­so, serão encaradas com naturali­dade pelo Governo”, adiantou.

Jarbas Vasconcelos contou que, antes da aprovação da medida, con­versou sobre o assunto com o se­cretario de Justiça Humberto Viei­ra de Melo, que teria informado já haver uma portaria do Ministério da Justiça nesse sentido, mas que nada havia sido feito ainda para a implantação. “Autorizei a medida, até porque havia uma recomenda­ção ministerial”, enfatizou. O governador lembrou também que, na última quarta-feira, recebeu um telefonema de felicitações do ministro José Carlos Dias.

Sobre as declarações do diretor do Presidio Professor Aníbal Bruno, major Severino Leandro da Silva, de que presos poderiam fugir utilizan­do roupas dos travestis que os visi­tassem, o governador disse que a hi­pótese foi levada em conta antes da aprovação dos encontros íntimos. As medidas de segurança necessárias para evitar as possíveis fugas, entre­tanto, caberiam aos diretores de cada unidade prisional.

HIPOCRISIA - Durante o mesmo evento, o Secretario de Governo, Dorany Sampaio, classificou a me­dida como “politicamente corre­ta”. Ele disse ser contra qualquer tipo de discriminação, acrescen­tando que não dá para esconder a realidade. “Proibir é hipocrisia. Não sou conservador para defender uma coisa totalmente ultrapassa­da. Essa medida foi corajosa e cor­reta. Existe, inclusive, no Congres­so, um projeto de Lei para implan­tar a união civil entre pessoas do mesmo sexo”, lembrou.

0 governador e o secretário de Justiça receberam, durante todo o dia de ontem, diversas mensagens parabenizando-os pela iniciativa. Uma delas, via correio eletrônico, partiu do presidente de honra da Anistia Internacional no Brasil, Ricardo Brisolla Balestreri, que, por conta da medida, afirmou que o Estado deu “um exemplo de civilidade, afinada com o respeito às minorias e a modernidade”.

Desde 1995 © www.dhnet.org.br Copyleft - Telefones: 055-84-3221-5932 / 3211-5428 - Skype: direitoshumanos - dhnet@dhnet.org.br
Google
Notícias de Direitos Humanos
História dos Direitos Humanos no Brasil - Projeto DHnet
Militantes Brasileiros de Direitos Humanos
MNDH
Projeto Brasil Nunca Mais
Direito a Memória e a Verdade
Comitês de Educação em Direitos Humanos Estaduais
Rede Brasil de Direitos Humanos
Redes Estaduais de Direitos Humanos
Rede Estadual de Direitos Humanos Rio Grande do Norte
Sistemas Internacionais de Direitos Humanos
Rede Lusófona de Direitos Humanos